Encontrei a melhor rádio forever

Terça-feira, 05 de julho de 2016.

Sou muita ligada em música, e tem alguém que não é? Tá, por enquanto, vou tentar colocar aqui no meu caderninho online a alegria que estou em achar uma rádio genuinamente de qualidade. É tão difícil achar uma rádio boa que trabalhe com a boa música brasileira, e ainda de quebra, ter uma programação supimpa.

Sim, por que além de música tem outras coisinhas. Como programa de gastronomia, cultura (além da música, que já é cultura), tem moda e… enfim – é muito conteúdo. E tudo de graça e em forma de aplicativo pro seu telefone celular. Você pode conferir pela web também.

A rádio Vozes. Essa é minha descoberta radialística (existe essa palavra?! rsrs) mais feliz hehe. Bem, posso chegar a conclusão que são novos tempos para as rádios com a internet. É, a internet está possibilitando nós ouvirmos boa música e programação. Já não somos mais escravos de emissoras de rádio que só sabem tocar aquele som repetido, e sempre, recheado de intervalos comerciais – que vamos ser sinceros cansa, não é? – Em todo caso apresento aqui a rádio Vozes. Vou deixar link para quem quiser ouvir. O aplicativo já está em meu celular e, sinceramente, toca toda hora, e muito bem. 🙂

Aqui deixo também um pouquinho sobre a rádio e sua criadora e todos os talentosos que compõem a equipe. Sério, queria um emprego lá ahahaha ♥

Sobre a rádio  

♥♥♥OUÇA ELA AQUI!!!♥♥♥

Pela Web | www |

Terça-feira, 05 de julho de 2016.

Alguns sites/ links que visitei essa semana de julho. Pra começar ouvi uma seleção de músicas da homenageada na página do Google, Carmem Costa, confesso que nem sabia quem era. Porém, quando ouvi suas primeiras notas musicais me encantei. Uma bela cantora e compositora brasileira que passarei escutá-la.

Música Quase – Carmem Costa

Já se imaginou morando em uma casa móvel? Eu não! Contudo, depois que vi essa fiquei com vontade hehe.

Fotografias da casa móvel

Ah… Londres. Reino Unido me encanta. O lugar que quero visitar e  muito ainda. Enquanto não posso ir até lá me contento com belas imagens desse peculiar lugar na Europa. Um link para imagens dos jardins secretos de Londres. Só para constar… são lindos!

Ah… Londres ♥

Na faculdade de Jornalismo temos a matéria de cinema, e nesta semana, pude ver alguns vídeos que no YouTube estão tendo deslikes. Isso mesmo! Hehe. Confesso que fiquei curiosa e fui conferir, claro!

Disliked

Por último, mas não menos relevante. O que você sonhava na infância. Eu muitas coisas, e ainda, sonho com algumas. Então tem uma pequena matéria com alguns relatos. É legal, vale ler!

Sonhar, é bom!

 

Até onde as redes sociais interferem na sua vida?

Quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Até onde as redes sociais interferem na sua vida?Às vezes perdemos tempo demais checando ou atualizando nossos “perfis” no mundo online. Esse que não tem lugar fixo, um endereço, apenas existe, está aí por aí. Não tenho pretensão em falar mal de algo que uso e aprovo, mas saber usar é outra coisa. Fazer uso, quando necessário, sim, contudo utilizar dela para viver, andar torto, ser atropelado ou atropelar alguém em decorrência do uso nada saudável é outra história. E convenhamos, não é uma rede social ou uma curtida que vai dizer quem você é ou deve ser. Trabalhar e cuidar da família e de si é em primeiro, depois, olhar umas fotografias no Instagram ou assistir um show no Youtube não tem problema. O problema mora quando nos distanciamos de quem verdadeiramente está ao nosso lado. Que você pode ver e conversar olhando nos olhos - não tem algo melhor! E como citei acima, a saúde está em perigo, por diversos motivos. Até mesmo o psicológico está sendo atingido, ou melhor, bombardeado com tantas notificações. Que por vezes nem nos interessam tanto. “Acabar com as redes sociais!” Foi um comentário de um colega meu. Erro! Então é assim, quando nos deparamos com algum problema vamos lá e acabamos com ele? Vamos excluir nossas contas e ficarmos off? Não! É só aprender a ter um pouco de noção do que mais vale para você. Ter na mente a importância do real. E de aproveitar a viajem ou o almoço em família, em vez de postar tudinho no Snapchat. Falando por mim, amante da fotografia e da arte eu utilizo todos os dias a minha conta no Instagram, principalmente, para divulgar meu trabalho. Todavia, confesso que no início foi complicado. Queria acompanhar todas as fotografias. Sigo muita gente, na maioria, fotógrafos. Gosto de acompanhar a arte e de ver o que vem de novidade. Porém, parei para pensar quando notei que ficava mais de uma hora vendo fotografias. Claro, como trabalho com isso acabo vendo mais fotografias no dia a dia. Contudo, quando estava em casa era só para minha casa que eu me dedicaria. Minha família em primeiro lugar. E com esse pensamento hoje me sinto livre de ficar no Insta. Também não uso apps de música dentro do ônibus, trânsito e andando pelas ruas. Gosto de estar atenta a tudo que me rodeia. Até mesmo os livros eu deixo na bolsa quando me desloco de um lugar para o outro. Apps e web são essenciais e imprescindíveis. Entretanto, você vale muito mais que os bilhões que o Facebook arrecada. Você e sua vida em primeiro lugar. Depois vem o trabalho, e por fim, as redes sociais. 

Arte por: Pedro Tarlley

Às vezes perdemos tempo demais checando ou atualizando nossos “perfis” no mundo online. Esse que não tem lugar fixo, um endereço, apenas existe, está aí por aí. Não tenho pretensão em falar mal de algo que uso e aprovo, mas saber usar é outra coisa. Fazer uso, quando necessário, sim, contudo utilizar dela para viver, andar torto, ser atropelado ou atropelar alguém em decorrência do uso nada saudável é outra história.

E convenhamos, não é uma rede social ou uma curtida que vai dizer quem você é ou deve ser. Trabalhar e cuidar da família e de si é em primeiro, depois, olhar umas fotografias no Instagram ou assistir um show no Youtube não tem problema. O problema mora quando nos distanciamos de quem verdadeiramente está ao nosso lado. Que você pode ver e conversar olhando nos olhos – não tem algo melhor! E como citei acima, a saúde está em perigo, por diversos motivos. Até mesmo o psicológico está sendo atingido, ou melhor, bombardeado com tantas notificações. Que por vezes nem nos interessam tanto.

“Acabar com as redes sociais!” Foi um comentário de um colega meu. Erro! Então é assim, quando nos deparamos com algum problema vamos lá e acabamos com ele? Vamos excluir nossas contas e ficarmos off? Não! É só aprender a ter um pouco de noção do que mais vale para você. Ter na mente a importância do real. E de aproveitar a viajem ou o almoço em família, em vez de postar tudinho no Snapchat.

Falando por mim, amante da fotografia e da arte eu utilizo todos os dias a minha conta no Instagram, principalmente, para divulgar meu trabalho. Todavia, confesso que no início foi complicado. Queria acompanhar todas as fotografias. Sigo muita gente, na maioria, fotógrafos. Gosto de acompanhar a arte e de ver o que vem de novidade. Porém, parei para pensar quando notei que ficava mais de uma hora vendo fotografias. Claro, como trabalho com isso acabo vendo mais fotografias no dia a dia. Contudo, quando estava em casa era só para minha casa que eu me dedicaria. Minha família em primeiro lugar. E com esse pensamento hoje me sinto livre de ficar no Insta. Também não uso apps de música dentro do ônibus, trânsito e andando pelas ruas. Gosto de estar atenta a tudo que me rodeia. Até mesmo os livros eu deixo na bolsa quando me desloco de um lugar para o outro.

Apps e web são essenciais e imprescindíveis. Entretanto, você vale muito mais que os bilhões que o Facebook arrecada. Você e sua vida em primeiro lugar. Depois vem o trabalho, e por fim, as redes sociais.

Compartilhando: Os dez mandamentos do Celular

Dez dicas de boas maneiras no uso do celular

Autor: Pe. João Carlos Almeida, scj

Twitter: @padrejoazinho

Definitivamente ele veio para ficar. Há mais celulares que pessoas no Brasil. E já não é apenas um aparelho para falar. Fazemos quase tudo no smartphone: compras e pagamentos, recados e relacionamentos, preces e debates. O celular virou rádio e TV, caixa eletrônico, máquina fotográfica, relógio, central de e-mails. Já substitui com eficiência o noteboock. Esta multifuncionalidade exige um novo código de boas maneiras no uso deste companheiro inseparável. Ainda estamos meio deslumbrados por este admirável mundo novo. É comum ver quatro pessoas em uma mesma mesa teclando com os olhos fixos na telinha e sem prestar atenção aos que estão ao seu lado. Os distantes ficaram próximo, mas em muitos casos os próximos ficaram distantes. Procurei selecionar aqui dez dicas para utilizarmos bem este milagre da tecnologia:

1. Evite teclar quando está em um ambiente relacional: mesa, aula, teatro, cinema, palestra, missa, família, namoro etc.

2. Em geral deixe seu celular no silencioso, inclusive os alertas de mensagens e aplicativos.

3. NUNCA utilize o celular para falar ou teclar quando estiver ao volante ou fazendo tarefas que exigem atenção.

4. Antes de ligar para alguém mande uma mensagem para saber em que momento ele(a) pode conversar.

5. Caso precise mesmo ligar comece se identificando e depois pergunte: pode falar?

6. Evite falar alto ao celular quando estiver em público.

7. Quanto estiver com outras pessoas escute música e mensagens sempre com fone de ouvido.

8. Antes de tirar uma foto peça permissão. Via de regra não se filma ou fotografa situações íntimas ou refeições. Peça licença para compartilhar em redes sociais.

9. Se tiver que atender o celular enquanto está com outras pessoas peça desculpas, peça licença e atenda brevemente a uma distância mínima de três metros das pessoas.

10. Use o celular com moderação e saiba a hora de ficar offline.