Meus dramas na hora de ler

Sexta-feira, 01 de julho de 2016.

Talvez não seja apenas eu que tenha, mas abaixo, vou colocar algumas coisinhas que me incomodam na hora que vou ler – uma hora tão importante. Quem sabe daqui alguns anos mudem, pois somos condicionados pelo tempo, porém deixo aqui, em meu caderno de anotações virtual, os meus dilemas literários hehehe.

book-books-elizabeth-bennet-gif-favim-com-1950770

O primeiro: Vc lê demais, menina! Vá conversar com os outros.

Oras! Eu faço jornalismo, e já converso muito. A hora da leitura para mim é um descanso mental. Então, se estou lendo neste momento é porque preciso. E jornalista precisa estar bem informado. 😉 #dica

O segundo: Ei… diz pra mim, qual seu livro favorito?

 

Oii? Não tenho. Ou melhor não consigo escolher um. É difícil, eu tenho um relacionamento muito sério com cada obra que leio.

O terceiro: Me empresta seu livro? Nossa! Por que não?

Meu amor, não é fácil comprar livros, mais ainda aqui no Brasil, então não dá. Tem gente que não devolve ou se devolve vem sujo. Uma vez quis tentar emprestar e meu livro voltou com feijão no final da página. Assim, fica impossível voltar a tentar emprestar. :/

O quarto: Este dilema é meu mesmo. Qual livro escolher. Quando vou em sebos, livrarias e até virtualmente, não consigo escolher. Levo um tempo até decidir. Nos sebos folheio e folheio. Leio tudinho que posso, para depois, comprar. hehe

O quinto: Quando alguém te diz: – Não gosto de ler!

anigif_enhanced-buzz-7053-1377715069-28

– Sério? Não é possível?! A leitura é algo tão prazeroso. E o crescimento que se adquire através dela é fantástico. Fora que é um momento tão seu. Onde descansamos, sonhamos, imaginamos… enfim, é nossa pausa do mundo.

O sexto: Não encontrar um lugar bem iluminado e quieto para ler.

wrkmf9

Nossa! Odeio esse dilema. Em casa saio à caça por um lugar quieto e com muitaaa luz. À noite um abajur com uma mega luz fica ao lado de minha cama. Falando na quietude para ler, tem momentos e livros, que até consigo ler com um pouco de barulho ou ruído. Agora, quando é livro do curso de jornalismo, onde devo estar muito atenta, pois é conteúdo de prova, aí é pior. Dedicação para entender cada parte é fundamental.

O sétimo: – Você lê dois livros ao mesmo tempo?

Eu consigo. Não confundo histórias nem nada do tipo. Mas assim, normalmente tento ler gêneros diferentes. Isso ajuda! Por exemplo, se estou lendo um romance longo gosto de variar com um livro de poesias ou quadrinhos. É muito legal!

Bem, esses são meus dilemas literários. Quem sabe aumente ou diminua… só o tempo nos dirá hahaha.

 

Anúncios

Inspiração visual – salvando imagens

Sexta-feira, 15 de abril de 2016. o/

Olá, no post de hoje no Camporeja eu vou falar um pouquinho sobre minhas inspirações visuais. Amanhã, sábado, tenho um ensaio fotográfico para fazer, então, sempre gosto de dar uma olhada em algumas inspirações.

Como já conversei com a minha cliente, e já sei o que ela quer, agora é só procurar algumas imagens para compor no meu painel no Pinterest. Esté é o meu Pin

Se caso quiser me seguir e ver mais fiquem a vontade 😉

No ensaio de amanhã, pensei em algo bem floral para a minha fotografada. Ela curte flores e campo como eu, então vem ver o que separei. 🙂

  • Todas as imagens são do Pinterest/ meu painel Artes Fotográficas

Fairytale fashion fantasy / karen cox.:

Flores, joias grandes e tecido leve. A cor forte fica para as flores. Amei ❤

 :

Tem bem pegada de boho pelo vestido. O vermelho contrastando com o branco é lindo.

Flowers:

Essa fotografia tem um ar de fantasia. Cores neutras e lindas. Notaram que todas as cores conversam, e o resultado final, é bem dizer uma cor só? ❤

http://votetrends.com/polls/296/share #fashion #couture #editorial #designer #style:

Nem sempre as flores precisam estar na cabeça 😀 Olha que lindo elas pelo corpo. Aqui só cores vibrantes.

 :

Nada mais lindo e simples do que uma rosa vermelha.

Roses #makeup:

Realçando detalhes.

 :

Respirando flores.

Bem, pessoal essas são algumas referências para o meu trabalho. Espero que tenham curtido 🙂

Uma leitura dentro do ônibus

Terça-feira, 05 de janeiro de 2015

* Primeiro post de 2016 *

fotografia2

Fotografia: Hadassah Sorvillo

Hoje acordei cedo – como de costume. Levantei e fiz coisas comuns quando se levanta: escovei os dentes, tomei banho, me arrumei e fui tomar café. Em seguida me despedi de minha família e tomei o ônibus com destino ao terminal da minha cidade.

Chegando no terminal já fui rápido para o outro ponto, o que leva até o meu trabalho. Uma hora eu levo de minha casa até o meu trabalho usando o transporte público de minha cidade. Junto comigo trazia um livro, no começo da viagem ele estava fechado, mas passados uns dez minutos o abri. Não sou acostumada a ler no ônibus, muito menos, ouvir música ou ficar no celular. Sou muito cuidadosa, não sei, penso que lendo ou prestando atenção em outra coisa seja perigoso. E é! Na verdade estar atenta ao interior e exterior do ônibus é medida de segurança.

Contudo, com 2016 aí já, quero ler mais, e muito mais, principalmente livros referente ao meu curso da faculdade.Então, hoje decidi abrir o livro durante a mini viagem. E foi surpreendente e motivador. Consegui ler muito mais dentro do ônibus do que sentada na cama. Consegui ler muitos capítulos. Minha forma de ler é essa, meio que estipulo metas de leitura. Por exemplo, até o final do dia de hoje tenho que ler dois capítulos. Fique contente com o resultado no ônibus.

Mesmo lendo ainda prestava atenção a minha volta. Percebi também que eu era a única com um livro na mão e aberto. E com essa visão já me veio vários devaneios, por exemplo, por que as pessoas não leiam mais? É só no Brasil que há poucos leitores? O celular substituiu o livro físico? Entre outras perguntas.

São perguntas que não podemos ter respostas específicos, por mais que o número de leitores fiquem menor, ainda assim, há os leitores eternos que podem ser ouvido nas pesquisas. E não é apenas no Brasil que há pouca leitura. Não é só aqui que acontece as coisas. Até nos países com maior influência da cultura da leitura deve haver pessoas que odeiam livros. Mas são poucos os que odeiam. Isso não podemos negar. Agora calma, o celular não vai substituir nem roubar o lugar de ninguém. Se bem trabalho ele é mais uma ferramenta para nos auxiliar. É isso que devemos ter em mente. Ele veio para somar.

Procurando sobre como anda a leitura no país não encontrei muita coisa. O que já começa por aí, não é. Como assim não ter notícias atualizadas? Achei uma de abril de 2015 falando da leitura em 2014. 😦

A matéria é da assessoria da Federação do Comércio do Rio de Janeiro onde mostra uma pesquisa sobre a redução da leitura.  Sete brasileiros de cade dez não leram nem um livro sequer em 2014.

Triste! Mais cultura e literatura. Com essa minha reflexão quero ler mais ainda e pensar em estudar mais profundamente o jornalismo literário – um jornalismo tão encantador, que comporta poesia e belas histórias.

  • Em breve quero divagar mais sobre o tema.

 

Frida em livro

9781596436039.IN04-640x640.jpg

Que trabalho mais fofo gente!!

9781596436039_il_2.jpg

Dois amigos uniram o que sabem fazer e deu nisso. Um trabalho fantástico sobre a vida de Frida Kahlo, que há 108 anos encantava e trazia leveza por meio de suas pinturas. E olha, não foi apenas na arte que ela contribui, mas também na cultura daquela época e da nossa.

Os amigos que inicio são Yuyi Morales – ilustrador e escritor – e a fotógrafa Tim O’Meara. Ambos criaram o Viva Frida, um livro da presença artística da pintora. O lado marcante e criativo de Frida se une com a ideia dos autores. As cores, os traços e a liberdade dos personagens pintados por Frida são exalados em cada página.

Algumas imagens já estão disponíveis na web (do livro), e são inspiradoras, como as obras de Frida.

Viva-Frida_I-live-spread-640x322.jpgImagens: divulgação.