Um sábado inteiro de música

Sábado, 02 de abril de 2016

Sábado a tarde pede música. Nossa, agora escrevendo esse post que percebi que passei meu sábado todo ouvindo música 😀 Minhas playlists no Spotify só crescem. Música faz bem, então não tem tanto problema passar seu sábado conectado no app. Entretanto não fiz só isso. Tenho o costume de fazer tudo ouvindo música. Tomar banho, lavar louça, estudar e… Sim, eu consigo estudar e ouvir música.

Abaixo separei algumas que ouvi hoje. Em breve quero me dedicar mais para escrever sobre seus cantores e compositores. Na medida do possível quero compartilhar e salvar. 😉

Vem ouvir… se caso você tem perfil no Spotify pode me seguir, claro, se quiser hehe 😀 Ah… meu gosto musical é muito vasto. Não tenho um estilo que sigo mais e tal. Ouço o que me alegra.

 

 

Sou das antigas também!!! ❤

Até a próxima!

Fotojornalismo de Agnes Montanari

Segunda-feira, 14 de março de 2016

Gostando de fotografia e estudando jornalismo não tem como não falar de fotojornalismo. Confesso que só fui conhecê-lo quando entrei na faculdade, porque até então, só tinha em mente que qualquer fotografia era fotografia. Não sabia de suas diferenças. Falta de estudo mesmo, e até interesse. É incrível, quando entrei na faculdade, a vontade de saber de “tudo” se aflorou em mim (rs). Feliz por isso 😀

Estudando sobre fotojornalismo (brevemente na facul) tive contato com uma profissional incrível. Que com certeza todo fotojornalista já deve ter ouvido falar, Agnes Montanari. Com fotografias maravilhosas, os fatos retratados ali possuem uma abordagem jornalística instigante.

Pois é isso que diferencia a fotografia “normal” do fotojornalismo. A mensagem dos fatos que a fotografia carrega em si. O que é de interesse público, o que precisa ser noticiado. Similar ao conceito de jornalismo. E isso, a Agnes, sabe fazer muito bem. Como Agnes é francesa não tem muita coisa sobre ela em português, pelo menos eu não encontrei :/ O que acho uma pena. Nem na faculdade minha encontrei :/ No site dela também não tem muitas informações. No about (sobre) tem uma impressão dela sobre a arte de fotografar e seus projetos. Mas nada mais.

Aqui no Brasil, a editora Nemo, publicou o livro O mundo de Aisha – A Revolução Silenciosa das Mulheres no Iêmen, de Ugo Bertotti (um livro que já está em minha lista de leituras<3). E nesse livro, tem as fotografias da Agnes. Pelas resenhas que acompanhei do livro ele parece ser interessantíssimo. Abaixo, separei algumas fotografias de Agnes – retiradas de seu site .

agnes3agnes2agnes

agnesmontanari3agnesmontanari2agnesmontanari1

Compilando poesias

Segunda-feira, 07 de março de 2016

Não reclame da segunda, ela é um novo dia que Deus te oferece. Uma nova oportunidade de acertar. Lute contra suas reclamações, levante-se, tome banho e vá trabalhar.

balao

 

“A poesia plantou flores em meus vasos sanguíneos.”

— Alexandre Guimarães

 

“Eu vejo flores, por onde ando é florido.
Florescer, a minha alma.
Nos cantos do meu ser, eu me fiz de flor”.

– Floricitar.

 

“Coloque amor, por onde Flor…
Pois quando Tu Flores,
Nós Flores(Seremos).
Juntos na poesia Floreada da Fé com Amo”.

– D’arc Girl

 

O maior problema da humanidade tem sido a ausência de sentimentos bons nas pessoas.

— Marcos Vinicius

 

“Só não esqueça que no peito que bate também nasce flor.”

— T. Angeli

 

Que mundo é esse em que vivemos… onde é mais fácil quebrar o núcleo de um átomo do que um preconceito.

— Albert Einstein

Para você pensar sozinha

Domingo, 06 de março de 2016

Ficar sozinho pode parecer assustador para alguns, mas não é não.

“Ser sozinha é diferente de estar sozinha”. Ninguém está sozinho, você tem alguém, pode ser de sua família ou um amigo, namorado (a). Agora estar sozinha é outra coisa. Ficar sozinha é morar com você mesma, ou até mesmo, morando com seus pais querer um momento para você.

É natural em mim isso. Vivo com meus pais e irmãos – e amo muito! – , porém, às vezes, gosto de ficar no meu canto a pensar, ler ou simplesmente ouvir a minha alma. Vivendo a paz comigo mesma.

Isso todo mundo deveria fazer, faz tão bem pra alma e corpo. Em nossa rotina, muitas vezes, barulhenta e cheia de pessoas, você acaba deixando seu eu de lado. Ou nem tempo dá. Se quiser tem como.

Hoje tive contato com ilustrações fantástica de Idalia Candelas – do México. E em sua arte é disso que ela trata. Como a solidão faz bem. Desde simples momentos, como você deitada em uma cama só sua, até o momento do café.

Abaixo, separei algumas para ilustrar o post. Se divirtam e fiquem mais sozinhos, nem que seja 10 minutinhos. E com o celular em off, tá?!

Uma cama grande só sua. Ah… 🙂

Ficar de pijama ou roupa íntima pela casa.

Deitar e pensar, após um longo dia de trabalho.

Um chá e o sossego para ler um livro.

Tomar banho de porta aberta é muito bom 🙂

As marcas pela vida

Sábado, 13 de fevereiro de 2016

Quais são as marcas que você tem deixado na vida das pessoas? Será que são marcas ou apenas cicatrizes?

Diariamente somos obrigados pela vida, pelo trabalho, faculdade e… a conviver e ouvir coisas que nem sempre queremos escutar ou partilhar, simplesmente porque não quero. Isso já deveria bastar, mas não é bem assim. Tem pessoas que acham que podem chegar em você e jogar seus lixos e desafetos e pronto.

Mas eu agradeço a Deus por saber lidar com isso. Aprendi com tempo e com muita reza. Hoje no Facebook, a page Meninas de Fé postaram um poema da grande Cecília Meireles que fala sobre isso. Veio a calhar direitinho com o que estava refletindo. Normalmente, quando passo por algum momento assim, busco a Deus em oração, para assim, refletir e conviver.

Veja o que Cecília – tão sabiamente diz: “Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre”.

Esse marcar – eu digo aqui positivamente – busque ficar pertinho de pessoas que te façam encontrar a Deus. Sabe aquelas pessoas que nem falam em Deus mas te fazem bem? Pois bem, é que elas tem Ele no seu coração. Essas sim me marcam. Agora, não maltrate ou ignore quem te faz mal ou não te faz encontrar Deus, mas respeite e imponha limites na relação. Relação que pode ser no trabalho, faculdade, na vida – meus amigos.

Porque quem é Cristão e segue os passos desse Deus lindo, respeite e acolhe. Saiba ouvir todas as reclamações dessa pessoa. Com paz no coração entregue cada palavra para Deus. Nem sempre sabemos explicar ou dar uma resposta, então, deixe isso para quem tem o poder, Deus. ❤

Isso vale também para o relacionamento digital. Se você tem um colega que vive se libertando nas redes sociais não vá lá e cutuque a ferida. Se te incomoda coloque nas Mãos de Deus e aperto o botão para deixar de seguir – assim, pelo menos, você não recebe as atualizações do tal colega. 🙂

Eu não sei você que me lê, todavia o que quero deixar de marca nessa minha vida, no meu trabalho… são marcas de compreensão, respeito, compaixão, amor e bondade.

Para finalizar essa reflexão não deixe que ninguém te desonre! E do fundo do meu coração, espero e sei que um dia todos poderão sentir o amor e felicidade que encontrei em Jesus.

.

 

Vamos de arte?

Com o objetivo de melhorar mais o meu consumo de arte pela web eu ando. Já que na minha cidade não temos grandes museus e tal. Mas nem por isso vou ficar sem ter contato. O meu amor por fotografia me fez chegar ao trabalho de dois caras, o Matheus Coutinho – que mexe com fotografia e direção fotográfica; e o Elvis Benício – designer. Confesso que ainda não conhecia o trabalho do Elvis, depois de algum tempinho olhando fiquei impressionada. Talentosos!

Abaixo selecionei algumas fotografias desse projeto sensacional e puro estilo.

jpgIdeaFixaUrban$tyleSP_2938

Um show de aula de criatividade e design. Pra quem curte como eu. Ah… e ainda tem fotografia.  o/

Nessas fotografias podemos ter contato com a identidade dessa população, da cultura e da forma como se vestem. O trabalho deles começou depois que tiveram contato com os grupos Ver$usxBoyz e Future Gang.

jpgIdeaFixaUrban$tyleSP_2985

Elvis em seus site conta um pouco sobre como conheceu o grupo. Diz que foi a partir de uma visita no blog VICE Brasil que tudo começou. Curiosa com o grupo Vers$usxBoys eu fui procurar saber um pouco mais.

Pesquisando na web tive contato com belas fotografias e uma produção de moda muito bem feita. Ver$us é um projeto fashion lifestyle de jovens de 15 e 19 anos da periferia de São Paulo. E as produções bombam no Tumblr e Instagram. O projeto também tem como parceira a Future Gang, um grupo de pesquisas e conversas para debater como enxergamos o futuro. Abaixo o link, vale a visita! Future Gang.

Bom, e foi a partir da visita a esses grupos que eles tiveram contato com a identidade cultural que acima eu citei. O resultado disso? Um acervo cultural imenso e de muito bom gosto. Misturando fotografia e arte gráfica. Um show!!

Vejam:

jpgIdeaFixaUrban$tyleSP_3050

jpgIdeaFixaUrban$tyleSP_3056

jpgIdeaFixaUrban$tyleSP_IMG_4211

Esta fotografia está um arraso. O olhar do fotógrafo, a criatividade e a qualidade da fotografia está linda.

Achei o making of…

Aqui o site do Elvis onde ele cita o projeto…

#maisarteassim

 

Um dia após o outro

DSC_0465

A cada hora que passa é  um dia que foi. Sempre quando parava para olhar o relógio analógico eu me assustava. Ver o ponteiro dos segundos passando fez nascer em mim um medo de não viver o que temos que viver.

Mas aprendi nesses mesmo segundos que passam que ter paciência, talvez, seja o melhor o remédio. E passei a aproveitar os segundos. Por mais breve e simples que seja o meu dia eu tiro um proveito.

Outro dia mesmo comecei a planejar um jardim – tanto para minha casa como para a chácara – . Acima temos uma fotografia que fiz do pé de nectarina que floresce em dezembro – época da fruta, já perceberam? É típica do Natal – eu plantei ela. Não cuido dela, pois não moro na chácara, mas sempre que vou lá passo alguns minutos observando e regando – e agora fotografando – .

Comecei o jardim para me ajudar a trabalhar o tempo e o meu amor por flores. Saber cuidar dele vai me demandar  tempo e paciência – já que sou ansiosa – . Cuidar e aprender como funciona cada época de cada tipo de flor será um trabalho bom. E em tudo isso vai entrar a fotografia, pois quero poder registrar cada momento em meio as flores.

DSC_0467

Pensando bem, eu acredito já ter começado a trabalhar com o tempo. Por quê? Oras, fotografia é guardar um tempo para si. Por exemplo, guardei pra mim um momento da nectarina florescida. Toda vez que olhar essa foto vou lembrar desse dia – me lembo agora até do cheiro doce que a árvore exala – . Tempo bom! ❤

 

Suculentas, o amor da vez

Falou em planta é só me chamar. Gosto muito do contato com a natureza. Em casa até em meu quarto tem planta, por exemplo, na minha janela tem uma bem grande.

Dentro do quarto eu optei por uma pequena e própria para ambiente fechado. A minha escolhida foi a suculenta. Apaixonada por esse tipo de planta. Elas são resistentes e lindas. É um charme! O mais legal também, além das espécies, é como você pode plantar. Como elas não precisam de TANTOO cuidado – como outros tipos de plantas. A suculenta é ótima pra quem está querendo ter uma amiguinha.

Sim, minhas plantas são minhas amigas, alegram meu dia a dia. Basta chegar e vê-las que o dia se transforma. No trabalho eu também tenho uma, mas confesso que ainda estou procurando um lugarzinho pra ela. Não sei se sabem, mas as plantas escolhem o seu lugar. Plantar elas também não é difícil.

Comprei a minha primeira (de muitas) na feira de flores de minha cidade, um vaso de pequeno porte (foto abaixo). ❤

IMG_2977

Nesse vaso veio várias mudinhas, uma eu tirei e levei pra casa e replantei em um outro vasinho (menor). A terra que está envolta da raiz da suculenta eu deixei, porém acrescentei mais substrato, areia de construção (porque não tem muito sal) e pedra brita ou aquelas branquinhas pequenas, pois elas vão atuar como protetoras. Ou seja, vão proteger as plantas do contato com a terra. Na hora de irrigar, cuidado para não molhar as folhas porque pode apodrecer a folhinha. Ah… no verão você deve colocar água apenas uma vez na semana, já no inverno, uma vez no mês. A questão da luz solar varia de espécie de suculenta. Algumas precisam de luz direta outras podem ficar com aquela luz indireta da janela.

Eu gostei tanto delas que quero ter todos os tipos hehe 🙂 Abaixo separei algumas fotografias para nos inspirarmos e começarmos o nosso jardim de suculentas hihi 🙂

Apartamento de 52 m² é decorado com peças garimpadas em promoções - Casa:

Tipp: In kleinen Gefäßen und Gruppen arrangiert, wirken sie ein Indoor-Stein-Garten.:

Suculentas - Blog Pitacos e Achados -  Acesse: https://pitacoseachados.wordpress.com -  https://www.facebook.com/pitacoseachados -  #pitacoseachados:

Suculentas - Blog Pitacos e Achados -  Acesse: https://pitacoseachados.wordpress.com -  https://www.facebook.com/pitacoseachados -  #pitacoseachados:

#pottery #planters #containers #pots Nature Decor for the Office:

Atelier Stella tripod planter:

planters:

Triumphal Arc Relief Carved Ceramic Table Planter // Succulent Planter// Cactus Planter // Hand Decorated Ceramic Planter:

Handmade Ceramic Succulent Cactus Pot Planter in Orange / Grey Zigzags by CeriWhiteStudios on Etsy:

 

Imagens: Pinterest.

 

 

Garimpando estilo fazenda

Fazenda pra mim é sinônimo de conforto. Mas não é bem assim no dia a dia. Vejo com o trabalho que meus avós dedicam a chácara que temos. Fazenda é lugarzinho de trabalho e cuidado constantes. É tranquila, não tem os barulhos da cidade grande, mas o trabalho é pesado. Desde o plantio até a colheita, o cuidado é necessário, pois os perigos estão por todos os lados, desde as pragas da lavoura até as fortes chuvas.

Mesmo pedindo bastante de nossa parte eu amo fazenda, amo estar perto da natureza e dos bichos. Poder sair e fotografar a rotina e o convívio é uma alegria. Cada clique que faço eternizo em mim esse sentimento. Tudo o que é campo me deixa assim meio encantada. Nem a moda escapa. Juro, se pudesse me vestiria assim pra sempre, todavia como moro e trabalho na cidade não posso ter esse privilégio.

Porém, morar no campo já está na minha lista de desejos. Sim, gosto de fazer listas de coisas importantes. É uma forma de marcar, mais uma vez, eternizar um momento de minha vida. Gosto de recordações, pois acredite, são elas que nos ajudam a recordar quem somos.

Abaixo, separei alguns looks que com toda certeza eu usaria. 🙂

Campaign: Ralph Lauren  Season: Spring 1984  Photographer: Bruce Weber  Model(s): Clotilde:

De todas as fotografias essa é a que mais me traduz – estilosamente falando – hehe <33

Ace & Jig Haystack Carter Top:

70s Road Trip Editorials - The Cosmopolitan Australia 'I'll Take You There' Photoshoot is Retro (GALLERY):

Gypsy Lolita: Road To High Desert:

visual optimism; fashion editorials, shows, campaigns & more!: country strong: gertrud hegelund by stefania paparelli for elle australia april 2014:

TheyAllHateUs | Page 8:

Ralph Lauren:

Ulia True by Ross Laurence for Fashion Gone Rogue #fashion #editorial  - beautiful editorial!:

Imagens: Pinterest

O começo de um amor

blog3

A primeira fotografia que escolho para ilustrar e guardar na web é essa em que estou na chácara junto com meus cavalos. Pois não tem fotografia melhor para descrever meu final de semana e eu. Um singelo amor que começou de repente, sem pretensão de acontecer. Simplesmente sai um final de semana com os amigos de meu pai, e um passeio de a cavalo estava programado. Eu não sabia. Meu pai sim! Nunca tinha visto de perto um bicho desses. Recebi o convite de montar, na hora me veio o receio. Um animal tão grande, e se caio? Não, não!

Contudo, durante o dia vendo eles andando e correndo pra cima e pra baixo me veio uma coragem. Como se todo medo e desconhecimento sumisse de meu peito. E no dia, para ajudar, estava de vestido. Me lembro muito bem, era um vestido jeans com a saia rodada de algodão na cor rosa. Como tinha apenas 11 anos de idade eles me colocaram no menor cavalo, o Torrão – hehe uma gracinha – pena não ter registrado esse momento com fotografia – outro amor meu – .

blog6

Foi lá com meus 11 anos que me apaixonei pelo cavalo e pelo campo. E é isso que quero pra mim hoje. Não que a cidade não me agrade, pelo contrário, adoro a cidade, mas amor mesmo é pelo campo, pelo rural e pela natureza. Gosto de simplicidade – não pensem a simplicidade como a falta de subsídios para viver, mas sim aquela que significa dar risada das coisas ordinárias do dia a dia. Entenda o ordinária como aquilo que acontece todos os dias em sua vida. Por que sempre nos alegramos com o extraordinário? Se a vida nos momentos pequenos e rotineiros também é bonita.

Eu escolho viver assim. Na minha chácara (onde posso cuidar dela e fazer o meu conto dos sonhos), dos meus cavalos e das minhas fotografias.

blog2