Me aventurando nos podcasts

Quarta-feira, 23 de março de 2016

A minha faculdade já no fim, e com isso, o tcc já está a caminho. Como gosto muito de rádio queria faze algo a ver. Misturando rádio e internet – ferramenta ótima para trabalhar com meu projeto – , resolvi fazer um podcast. Ter um site onde eu possa divulgar os textos e os áudios do meu trabalho.

Porém para fazer, ou melhor, começar a fazer eu estou procurando na internet livros, citações, autores e podcasts. Semana passado encontrei o podcast AudioCult. Que trabalho lindo, e sabem por quê? Porque tem podcast e muita história boa. Bem parecido com a minha ideia. Parecido, pois o trabalho deles narra grandes histórias da literatura brasileira. Já o meu, eu quero narrar a história de pessoas comuns e, a partir disso, transformá-las em uma narrativa literária em forma de áudio.

Abaixo deixo a descrição do trabalho fantástico desse pessoal. Eu já ouvi as três histórias disponíveis no site. E já aviso que vem muito mais. Eu sei porque esse projeto é da Isadora Ribeiro e companhia. E acompanho no seu snapchat todo o trabalho 🙂

“O AUDIOCULT é um projeto que visa transformar clássico da literatura em podcasts, disponibilizados gratuitamente através de nosso site e de nossos parceiros.

Afinal, acreditamos que através destas produções, podemos incentivar a leitura; auxiliando na educação de ouvintes, sejam eles crianças, adolescentes, adultos, estudantes, deficientes visuais, e todos aqueles possam e queiram aprender com as narrativas, contribuindo sobretudo para o crescimento cultural e intelectual da sociedade.

Em breve, nossas obras serão disponibilizadas para download, o que facilitará ainda mais a propagação do conhecimento, que poderá ser transportado para novas mídias e aparelhos eletrônicos como celulares e aparelhos com reprodução de arquivos em mp3″.

Aqui tem o site: AudioCult.

Boa história.

 

Anúncios

Meu desenho animado da vez

Oii,

Pode parecer infantil, então que seja! Gosto muito de desenhos infantis e tenho uma lista infinita com eles, desde produções cinematográficas a desenhos animados na tv. Quando era criança (pequena) adorava acordar cedinho, tomar meu achocolatado com leite e ficar a manhã inteira colada na tv, vendo os tais desenhos.

É mas o tempo passou, algumas obrigações surgem como: trabalhar e estudar. Bom, não que seja ruim, porém você não tem mais uma manhã inteira para ver os seus desenhos favoritos hehe. Então sempre que sobra um tempinho estou eu no YouTube da vida conferindo alguns episódios ou vendo um filme de animação.

Também tenho que admitir que a minha paixão por arte, ilustração, fotografia e cinema me impulsionaram a ser uma adoradora desde novinha. ❤ Quando citei lá no começo do post tem gente que acha feio ver desenhos ou vem com aquelas frases prontas: – Mas que idade você tem?

Olha o dia que minha idade importar para você responderei meu caro. A vida é curta para se importar com a vida alheia. Eu sigo isso, respeito e viva sua vida!

E outra, o cinema pensa em nós grandinhos que curtimos desenhos. Hoje tem muita produção boa voltada para adultos, com temas para adultos e tal. Eu na verdade prefiro os dois, bem quase, eu tenho meus critérios de seleção para assistir algo, mas é mais ou menos isso – que confuso?! hihi

Bom, eu tenho vários desenhos, então hoje vou indicar um, se caso quiserem mais é só falar, tá?

A Viagem de Chihiro eu assisti esse final de semana em casa e estava chovendo, então tudo pedia um bom filme, ou melhor, animação. Vou contar um pouquinho sobre ele e como eu o conheci.

Com um roteiro riquíssimo e cheio de magia A Viagem de Chihiro narra a história de um menina que junto com seus pais embarcam em um universo bem diferente do que está acostumado, eles vão para uma cidade proibida e que abriga muitas fantasias misturadas com magia e mistérios… Lá na tal cidade Chihiro conhece Haku, ora menino ora dragão, e esse menino vai ajudar ele a salvar seus pais. Essa é a trama do desenho, Chihiro tentando salvar seus pais em um lugar totalmente diferente e mágico com um novo amigo.

Gente, pra quem curte essas aventuras eu super indico. E como eu conheci essa obra fantástica?

Bem, como gosto de cinema volta e meia estou pesquisando coisas do gênero, novidades para assistir, e foi assim, que conheci Hayao Miyazaki – um dos produtores mais sensacionais na hora de fazer filmes de animação e fantasia. Muito bom!!! O desenho é japonês!! Vou deixar aqui um pedaço dele e me digam o que acharam. É inglês, como eu estou aprendendo inglês estou me dedicando a assistir tudinho no idioma. Yeah!! 😀

Beijim!

 

Dia 12 é dia do <3

l’amour de bienvenue… ❤ ❤ ❤

O amor está no ar! Dia 12 de junho é comemorado o dia dos namorados. Então para você que está com um love que legal, mas se você já é como eu e está sozinha nesse dia, oh… Por que não assistir um filminho romântico? Não faz mal ninguém, vamos combinar! 😉

Esse filme eu assisti agora a pouco e gostei tanto do tema, enredo e tudo que resolvi postar aqui para vocês. Quero também confessar algo… amo filmes de romance, esse ele mescla romantismo com drama. O que me é muito interessante. Bom, quero falar um pouco sobre o filme.

Filme…

Doutor Alfred Jones, Harriet e o xeique visionário são os personagens centrais do filme. O filme começa e tem um tema estranho e peculiar, ele tem como plano de fundo um projeto de um xeique milionário em trazer para a sua região a pesca de salmão. Envolvendo política, drama, projetos científicos e muito mais. O título original não tem nada a ver com o nome do filme em brasileiro> AMOR IMPOSSÍVEL. Em inglês o título é (Salmon Fishing in Yemen, 2012). Opa… bem diferente, né?

Mas, eu particularmente, gostei do filme. Tem amor, doçura e pitadas de esperança. Muito bom 😀 Tem uma trama bem-humorada e mescla, como citei acima, romance e drama. Vale assistir! 🙂

Aqui eu vou deixar o filme inteirinho para você curtir… assisti nesse site.

<a Amor Impossível

Beijim!

E muito amor nesse mundo!  

 

 

 

 

Ela me acompanho muito

Gente hoje estou muito contente, sabem porquê?

É aniversário da minha querida Mafalda, uma garotinha rebelde, que falava e fazia tudo em suas tirinhas. Nossa…como li e leio ainda, e quer saber, não me canso. Ela marco a minha infância com certeza!!! Além claro dos outros personagens como: o Manolito, Felipe, Susanita e Miguelito. Todos são uns amores. ❤

Quem é que não se lembra do seu lacinho vermelho e o seu ódio por sopa? Lembro que eu vivia de lenço pela casa, só para imitá-la. Hehehe…  O que mais me chamou atenção, claro além da perfeita ilustração era a forma como a personagem via o mundo. Uma menina idealista e sincera. Lutando para mudar o seu país,e também, o mundo. Ah… e pra quem pensa que ela é um desenho, tirinha antiga da década de 60 se engana, muitas tirinhas e até o desenho animado vale para a nossa era, e como!

Ai gente Viva a Mafalda! ❤ e seu criador Quino.

Hehe…

 

                        Imagem

 

                        Imagem

 

 

 

 Parabéns Mafalda e muitos anos de tirinhas.

Beijim!

🙂

 

Separei este filminho para a gente curtir ela um pouquinho:

A Menina do Batom Rosa #1- A faculdade

Ela não era de conversar muito, com conhecidos bem conhecidos ela até falava demais. Não era qualquer ambiente que ela frequentava, na faculdade ela era totalmente contra o trote comum, mas totalmente a favor do trote solidário. Ajudar as pessoas ela fazia com prazer, era estudiosa e como. No intervalo da faculdade ela sempre estava na biblioteca lendo ou no computador lendo, pra variar. A menina do  batom rosa se irritava muito com pessoas conversando na aula paralelamente, e outra que ela odiava era meninas falando mal de outras meninas. Isso mesmo ela não fala mal de quase ninguém, quer dizer ela fala de quem faz isso. Mas não rejeitando e sim tentando concertar o que elas ou eles fazem. Gosta muito de cultura, até demais, ela viaja demais nos livros. 

Tímida. Todavia quando precisa agir de verdade ela vai fundo. No primeiro dia de aula gostou  de tudo, do professor, dos colegas, do prédio onde está a sua sala agora. Adorou com maiúsculo os livros que terá que ler, minha nossa! Ela se esqueceu de fotografar o seu primeiro look de aula, é ela gosta de moda. Na verdade tudo que é bonito ela gosta. Nunca vi coisa igual. Tem gente que crítica isso nela. Pois uma menina de 20 anos deveria estar mais crescidinha, porém ela não liga! Ela sempre diz que o que importa é você estar bem e pronto, ponto final. Muitos pontos finais. Séria e muito séria, mas gosta de rir e como, se alguém cair em sua frente (claro sem gravidade) ela irá rir muitooo…

Ama esporte, nem todos, mas ama <3. Bicicleta é algo que ela não desgruda. Mais ainda depois que aprendeu a andar sem as rodinhas atrás. Aprendeu sozinha, acreditem, e com uma grande que era do seu tio. Todos os dias ela pegava a bike e saia arrastando pelo pátio de casa. Subia e pegava impulso, porém ainda não pedalava. Primeiro ela adquiriu equilíbrio, ai somente a partir dai o seu avó paterno disse:

— Mas pedala agora!

E assim ela fez em um dia que ela não se lembra quando.

 

(…)

                      Imagem

 

Beijim e até mais uma parte dessa história.

🙂

 

Click do Dia com história…

                  Imagem

 

polka dots”? Hã?. O que é???

Calma é algo que olha quase todos já devem ter usado na vida. Sendo mulher ou homem. Ah… até em desenho animado apareceu. Desfila nas passarelas e até na praia. Sabem o que é?

É o POÁ!!! Sim as famosas bolinhas das mais variadas cores. Desde a tradicional como no meu vestido até as coloridas atualmente. Estampando vestidos( como o meu na foto acima), e também, em biquínis, bolsas e por ai vai… Esses dias em uma loja vi a estampa em chinelos de borracha e achei uma graça fashion( como eu digo! kkk ). Adoro as bolinhas, admito, é uma estampa que me alegra. Sem contar que ela é retrô, não só a moda em roupas, mas em móveis antigos me fascina. Gosto do vintage, faz bem. Então hoje quando vesti este vestido de poá com babados pensei:

— Quando surgiu e quem inventou essa estampa?

Então fui fazer algumas pesquisas com amigas e na web também e reparei que não há muita coisa não. Alguns dizem que é um mistério o seu nascimento. Eu li em uma revista que ele veio a partir de um estilo musical, este termo que usei logo no início, “polka dots”. ? hã?

É um estilo que surgiu nos anos 50, ai para a música criaram, como se fala? hum… uma roupa! É como se fosse a marca do estilo. Ah… uma curiosidade: Essa estampa fez muito sucesso com as mulheres no pós-guerra. Por isso ficou marcado que a década de 50 foi o ano de seu surgimento. Foi uma febre! 

Basicamente é o que tem sobre esta estampa. E da para saber que foi nesta época que surgiu por conta das roupas dos anos 50 que ainda estão em tantos guarda-roupas por ai. E também nas histórias de nossas avós, a minha por exemplo, disse que usou muito na juventude, melhor, até hoje ela usa.

Eu amo e passe anos sempre terá uma peça em meu guarda-roupa.

                    Imagem

 

 

 

 

<3Poá!

O que marcou minha infância?

Holla,

Sabe aquele desenho que marca a sua infância? Que quando você assisti eles toda a sensação volta na sua mente?

É isso que sinto, tudo que vivi e passei quando tinha meus 8, 9 e 10 anos retorna em meu coração. E olha que sempre fui de assistir muitos desenhos, filmes e séries. Mas sempre tem aqueles em especial, né?

Bom eu tenho os meus. Quem lembra do DOUG?

                         Imagem

 

 

 

E do Sítio do Pica Pau Amarelo? # Falo de todos na verdade, sou apaixonada pelas versões antigas e atuais <3.

 

         Imagem

 

 

 

E  A Jornada de Anne?

                                                           Imagem

 

 

Claro tem muitos outros desenhos como: As meninas super poderosas, o gato mais fofo e o rato também, Tom e Jerry e por ai vai…

🙂

Bjs ❤

Crônica: Um dia no parque

As folhas amarelas com tons  amarronzados marcam o cenário gigantesco, sorrisos desconhecidos e olhares apurados. Uma calçada cinzenta com escritos, as vezes dizendo área escolar, área para ciclovia ou acesso a cadeirantes. Pessoas indo e voltando de tantos lugares, umas com bolsas outras já sem. Há aquelas apressadas e outras nem tanto. Árvores grandes colorindo o universo verde do parque, placas e placas dando a localização certa para aquela pessoa ou pessoas que não conhecem os arredores. Tem parques que tem estátuas, monumentos que me contam histórias diversas, em um passo dado dou uns  mil na história e no conhecimento. Cantos soam pelo ar, batem em meus ouvidos e me perco na emoção; emoção presente nos olhos de cada animal que por ali passa ou habita. Algumas horas o brilho do sol entra entre os galhos e faz no chão desenhos, ligeiramente olhando forma corações, estrelas. Na lagoa vejo pombos, brancos e cinzas, curiosos e amedrontados. Contudo ali seguem, claro até o momento que um outro ser vivo curioso se aproxima, esse ser que é mais conhecido como homem. Caixas antigas de correspondências que já carregaram consigo tantas cartas de amor, de dor, de separação. No parque também vi a força do vento derrubando frutos verdes e maduros, é o vento colocando seu poder nos pobres galhos. Também tem as famosas placas de proibições – tão necessárias! Aonde existe regra existe juízo! Regras são benéficas para a vida. O amor brota de várias maneiras no parque, desde o nascer do sol até um piquenique de casais apaixonados. ❤

A fonte parece ter um poder de  salvar você do calor, do tédio e da ansiedade, a água acalma a agitação. Na grama bem verde percebe-se sombras desconhecidas, almas jamais vistas antes. Um encontrar de sombras! Os troncos velhos brigam com a beleza de troncos novos e robustos, e na hora que cai a noite e aparece o luar as copas das árvores brilham como se fossem luzes natalinas. Um banco vago você encontra para ali descansar o corpo e o espírito; canto de reflexão, imaginação e sonhos. O grande parque com seu verde esplêndido te deixa por alguns minutos ou horas em paz e, sozinho com você mesmo. Isso pode parecer cotidiano, porém com pitadas de inovação. Por mais simples que seja a rotina olho para ela com um olhar de extraordinário.