Descobertas musicais

Terça-feira, 19 de julho de 2016.

Essa semana começou com tudo, pelo menos, na parte musical sim hehe. Aliás os dias vão indo bem, estamos no inverno, então, os dias para mim são mais agradáveis. Dias calmos e com frio são perfeitos para escutar boa música. Então fui eu no Spotify. Descobri muita música bacana, bandas novas… enfim, fiquei muito contente com as minhas escolhas para a minha playlist na Spotify – um dos meus apps favoritos – acho que vou fazer um post falando sobre meus aplicativos favoritos – não tenho muitos – mas os que tenho me deixam muito feliz 🙂

Bem, abaixo vou deixar as músicas linkadas no Spotify, se caso você não possuir conta no app não tem problema cola o nome no Youtube e escute-as.

Brother – The Brilliance: como essa música é bonita. Encontrei sem querer no perfil de um colega e já adicionei na minha playlist. Pra quem não conhece os The Brilliance, eles são uma banda norte-americana, mais precisamente do Texas. Eles são caracterizados  no gênero de músicas de adoração. São músicas cristãs. Sério, essa música está em meu coração de tão linda. Linda pela mensagem que ela trás. Vejam aí um trechinho dela.

“When I look into the face   

Of my enemy

I see my brother

I see my brother”

Tradução:

“Quando eu olho para o rosto

Do meu inimigo

Eu vejo o meu irmão
Eu vejo o meu irmão”

For You – Josh Garrels:  Esse cantor eu não conhecia. Fui apresentada nesta semana, e me encantei também. Ele é dos Estados Unidos. O que me fez ser uma seguidora dele em seu perfil no Spotify foi a sua voz diferente – bonita – e das letras de suas composições. Letras com temáticas variadas que falam de saudade, esperança, compaixão, família, fé…enfim letras que nos falam, nos ensinam, letras que transmitem algo.

As suas composições se misturam com folk e hip hop. E por causa do folk, suas músicas me  lembram country. Outro ponto para salientar é que ele sozinho faz todo o seu trabalho, ou seja, é independente. Ele mesmo grava seus vídeos, músicas, edita e faz as mixagens. Um verdadeiro talento! Já virou um dos meus cantores favoritos hehe 😀

Let It Go – Tanner Townsend e Gardiner Sisters: Quem não conhece essa música? Eu a ouvi faz algum tempinho na voz de James Bay ( ♥ ), que particularmente, eu amo. Mas agora, eu ouvi um cover sensacional com um rapaz de Utah, nos EUA, o Tanner Townsend. Gente, esse rapaz tem talento hein. Que coisa mais linda! E para melhorar, ele fez uma gravação da música com o grupo musical Gardiner Sisters. Essas irmãs são da Carolina do Norte, também EUA, e cantam lindamente para variar. Elas são bem conhecidas no Youtube pelos covers que elas gravam. Já estou seguindo.

Espero que gostem.

Anúncios

Pela Web | www |

Terça-feira, 05 de julho de 2016.

Alguns sites/ links que visitei essa semana de julho. Pra começar ouvi uma seleção de músicas da homenageada na página do Google, Carmem Costa, confesso que nem sabia quem era. Porém, quando ouvi suas primeiras notas musicais me encantei. Uma bela cantora e compositora brasileira que passarei escutá-la.

Música Quase – Carmem Costa

Já se imaginou morando em uma casa móvel? Eu não! Contudo, depois que vi essa fiquei com vontade hehe.

Fotografias da casa móvel

Ah… Londres. Reino Unido me encanta. O lugar que quero visitar e  muito ainda. Enquanto não posso ir até lá me contento com belas imagens desse peculiar lugar na Europa. Um link para imagens dos jardins secretos de Londres. Só para constar… são lindos!

Ah… Londres ♥

Na faculdade de Jornalismo temos a matéria de cinema, e nesta semana, pude ver alguns vídeos que no YouTube estão tendo deslikes. Isso mesmo! Hehe. Confesso que fiquei curiosa e fui conferir, claro!

Disliked

Por último, mas não menos relevante. O que você sonhava na infância. Eu muitas coisas, e ainda, sonho com algumas. Então tem uma pequena matéria com alguns relatos. É legal, vale ler!

Sonhar, é bom!

 

Um estúdio com jornalismo e muito conteúdo bom

Sexta-feira, 25 de março de 2016

Hoje quero falar de jornalismo. Novamente, sim! No post passado falei sobre meu tcc e meu amor por podcast. Citei um trabalho muito bacana que ganhou minha admiração. Agora, quero dedicar um post aqui no Camporeja sobre o Estúdio Fluxo. Uma redação independente em São Paulo. Onde reúne repórteres, cinegrafistas, editores… enfim, uma redação de jornalismo. Você que lê o post e tem familiaridade com jornalismo sabe bem como é. 🙂

O Estúdio Fluxo como eles mesmo dizem em sua “biografia” (hehe). É um lugar para se explorar novas possibilidades para o jornalismo. Com uma linguagem, conteúdo único. Em suas séries de reportagem conseguimos ver a qualidade e o trabalho para entregar algo bom, para nós leitores. Algo que me chamou muita atenção para acompanha-los são os temas das reportagens, artigos, entrevistas, podcasts… Temas jornalísticos a humanos.

Até você que não faz jornalismo tem que acompanhar. Pois o Estúdio Fluxo é produzido para todo cidadão interessado em se informar sobre a vida. A redação do Fluxo é totalmente independente, ou seja, não tem anúncios comerciais – o que é muito positivo na hora da produção dos temas. Porque querendo ou não, sabemos que o setor da pauta de um veículo de comunicação é influenciado pelo setor comercial. Não deveria ser. Regra básica do jornalismo, mas que no dia a dia é ignorada por alguns.

Deixando de lado a questão ética comercial no jornalismo – que dá outro post (em breve) – , o Estúdio Fluxo também trabalha com muitos projetos de comunicação e em várias plataformas. Além de serem adeptos do jornalismo colaborativo – tema para outro post tbm hehe 😀 Ou seja, você jornalista pode escrever e participar do Fluxo.

Um trabalho incrível e que vale, com certeza, a sua visita. Abaixo deixo link para o site. Neste link vocês poderão saber bem mais do Fluxo.

Pessoal do Fluxo, vocês ganharam uma parceira 😉

Fluxo – veja aqui 

Através deste link vocês poderão conhecer o idealizador, o Bruno e a sua equipe. Bom proveito.

 

 

 

 

 

 

 

 

Para amar e pensar

floralls:

(via December | Flickr - Photo Sharing!)

“E quando estamos juntinhos de Deus as coisas se tornam leves. Mesmo quando a vida tenta instaurar o caos, com Deus, tudo se torna paz!”

[ Carol – Chance com Deus ]

vintage-cf:

vintage blog

“No meio da tempestade, sorria. Observe Ele acalmar as ondas do mar agitado. Por você.”

[ Laureane Antunes ]

“Em Sua Palavra eu fiz morada
Achei descanso na jornada”.

[Os Arrais]

Imagens: Tumblr

 

Até onde as redes sociais interferem na sua vida?

Quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Até onde as redes sociais interferem na sua vida?Às vezes perdemos tempo demais checando ou atualizando nossos “perfis” no mundo online. Esse que não tem lugar fixo, um endereço, apenas existe, está aí por aí. Não tenho pretensão em falar mal de algo que uso e aprovo, mas saber usar é outra coisa. Fazer uso, quando necessário, sim, contudo utilizar dela para viver, andar torto, ser atropelado ou atropelar alguém em decorrência do uso nada saudável é outra história. E convenhamos, não é uma rede social ou uma curtida que vai dizer quem você é ou deve ser. Trabalhar e cuidar da família e de si é em primeiro, depois, olhar umas fotografias no Instagram ou assistir um show no Youtube não tem problema. O problema mora quando nos distanciamos de quem verdadeiramente está ao nosso lado. Que você pode ver e conversar olhando nos olhos - não tem algo melhor! E como citei acima, a saúde está em perigo, por diversos motivos. Até mesmo o psicológico está sendo atingido, ou melhor, bombardeado com tantas notificações. Que por vezes nem nos interessam tanto. “Acabar com as redes sociais!” Foi um comentário de um colega meu. Erro! Então é assim, quando nos deparamos com algum problema vamos lá e acabamos com ele? Vamos excluir nossas contas e ficarmos off? Não! É só aprender a ter um pouco de noção do que mais vale para você. Ter na mente a importância do real. E de aproveitar a viajem ou o almoço em família, em vez de postar tudinho no Snapchat. Falando por mim, amante da fotografia e da arte eu utilizo todos os dias a minha conta no Instagram, principalmente, para divulgar meu trabalho. Todavia, confesso que no início foi complicado. Queria acompanhar todas as fotografias. Sigo muita gente, na maioria, fotógrafos. Gosto de acompanhar a arte e de ver o que vem de novidade. Porém, parei para pensar quando notei que ficava mais de uma hora vendo fotografias. Claro, como trabalho com isso acabo vendo mais fotografias no dia a dia. Contudo, quando estava em casa era só para minha casa que eu me dedicaria. Minha família em primeiro lugar. E com esse pensamento hoje me sinto livre de ficar no Insta. Também não uso apps de música dentro do ônibus, trânsito e andando pelas ruas. Gosto de estar atenta a tudo que me rodeia. Até mesmo os livros eu deixo na bolsa quando me desloco de um lugar para o outro. Apps e web são essenciais e imprescindíveis. Entretanto, você vale muito mais que os bilhões que o Facebook arrecada. Você e sua vida em primeiro lugar. Depois vem o trabalho, e por fim, as redes sociais. 

Arte por: Pedro Tarlley

Às vezes perdemos tempo demais checando ou atualizando nossos “perfis” no mundo online. Esse que não tem lugar fixo, um endereço, apenas existe, está aí por aí. Não tenho pretensão em falar mal de algo que uso e aprovo, mas saber usar é outra coisa. Fazer uso, quando necessário, sim, contudo utilizar dela para viver, andar torto, ser atropelado ou atropelar alguém em decorrência do uso nada saudável é outra história.

E convenhamos, não é uma rede social ou uma curtida que vai dizer quem você é ou deve ser. Trabalhar e cuidar da família e de si é em primeiro, depois, olhar umas fotografias no Instagram ou assistir um show no Youtube não tem problema. O problema mora quando nos distanciamos de quem verdadeiramente está ao nosso lado. Que você pode ver e conversar olhando nos olhos – não tem algo melhor! E como citei acima, a saúde está em perigo, por diversos motivos. Até mesmo o psicológico está sendo atingido, ou melhor, bombardeado com tantas notificações. Que por vezes nem nos interessam tanto.

“Acabar com as redes sociais!” Foi um comentário de um colega meu. Erro! Então é assim, quando nos deparamos com algum problema vamos lá e acabamos com ele? Vamos excluir nossas contas e ficarmos off? Não! É só aprender a ter um pouco de noção do que mais vale para você. Ter na mente a importância do real. E de aproveitar a viajem ou o almoço em família, em vez de postar tudinho no Snapchat.

Falando por mim, amante da fotografia e da arte eu utilizo todos os dias a minha conta no Instagram, principalmente, para divulgar meu trabalho. Todavia, confesso que no início foi complicado. Queria acompanhar todas as fotografias. Sigo muita gente, na maioria, fotógrafos. Gosto de acompanhar a arte e de ver o que vem de novidade. Porém, parei para pensar quando notei que ficava mais de uma hora vendo fotografias. Claro, como trabalho com isso acabo vendo mais fotografias no dia a dia. Contudo, quando estava em casa era só para minha casa que eu me dedicaria. Minha família em primeiro lugar. E com esse pensamento hoje me sinto livre de ficar no Insta. Também não uso apps de música dentro do ônibus, trânsito e andando pelas ruas. Gosto de estar atenta a tudo que me rodeia. Até mesmo os livros eu deixo na bolsa quando me desloco de um lugar para o outro.

Apps e web são essenciais e imprescindíveis. Entretanto, você vale muito mais que os bilhões que o Facebook arrecada. Você e sua vida em primeiro lugar. Depois vem o trabalho, e por fim, as redes sociais.